Arquidiocese de Maceió | Igreja Missionária e Samaritana

Arquidiocese de Maceió | Igreja Missionária e Samaritana

Notícias / Arquidiocese

08/01/2018 12h29

Seminário “Menor” São João XXIII passa a oferecer Curso de Propedêutico em Marechal Deodoro

O reitor, Padre Luciano Duarte, destaca que o Seminário é um campo de cultivo de boas vocações

Micheliny Tenório - Comunicação da Arquidiocese de Maceió
Fotos: Maria Cícera/Pascom Maceió

 O Seminário Menor passará a oferecer o Curso Propedêutico em sua grade curricular, a partir de fevereiro de 2018. Os seminaristas da Arquidiocese de Maceió tinham a referida formação na Diocese de Palmeira dos Índios, mas agora será realizada no Seminário Menor São João XXIII situado em Marechal Deodoro por decisão do arcebispo de Maceió Dom Antônio Muniz.

Desativado há mais de 100 anos, o prédio que já foi sede de freis franciscanos e depois adquirido por Dom Antônio Brandão, 1º bispo da Diocese de Alagoas, foi reaberto após passar por reforma, em julho do ano passado com o nome de São João XXIII e tem como reitor padre José Luciano Duarte dos Santos.

O prédio possui acomodações para 21 jovens vocacionados, que para cursarem o Propedêutico devem ter idade mínima de 18 anos, portando uma carta de apresentação do pároco de sua Paróquia de origem.

Padre Luciano Duarte destacou a iniciativa do Arcebispo de Maceió: “Dom Antônio foi muito feliz em aproveitar esse espaço, pois é uma forma de revitalizar o que é nosso. É um espaço amplo, propício à cultura, pois, dentro desse complexo temos o Museu de Artes Sacras Dom Ranulpho, duas igrejas (Igreja Santa Maria Madalena e Santo Benedito) e uma área livre, que pretendemos transformar em espaço para atividades esportivas e lazer. Esse complexo faz parte da identidade do povo de Marechal Deodoro”, declarou o sacerdote, que além de reitor do Seminário é também administrador da Quase Paróquia São Miguel Arcanjo.

Sobre o desafio em assumir a reitoria do Seminário e o Curso Propedêutico, o sacerdote ressaltou o aspecto desafiante da missão.

“Fui surpreendido com o convite de Dom Antônio. O novo sempre é um desafio. Ser reitor requer uma série de responsabilidades, que incluem a formação dos seminaristas e a administração do complexo. Graças a Deus estamos seguindo nessa missão sob as orientações do nosso arcebispo. Hoje temos uma relação de comunidade com os deodorenses”, destacou Padre Luciano ao informar que um dos frutos dessa relação foi a instalação do Movimento do Terço dos Homens.

Os seminaristas que cursarão o Propedêutico durante um ano serão avaliados. Dependendo do resultado eles serão encaminhados ao Seminário Arquidiocesano, em Maceió, ou permanecerão no Propedêutico para mais instruções. Em média, um seminarista leva oito anos para a formação sacerdotal mais os estágios pastorais na Arquidiocese.

Estudos propedêuticos fortalecem decisão pelo sacerdócio

Dos cinco seminaristas que entraram no Seminário Menor, três permaneceram e um deles vai cursar Filosofia e Teologia no Seminário Arquidiocesano ou Seminário Maior neste ano. Dois seminaristas, que serão ordenados ao diaconato, também foram acolhidos.

Lucas José dos Santos, 20 anos, e David Marques, 19 anos, irão permanecer no Seminário Menor. Lucas destacou que a experiência no Seminário está sendo maravilhosa e que o estudo flui e reafirma o seu desejo de ser padre. David mantém a expectativa por mais um ano de aprendizagem ao externar: “espero mais empenho meu na formação para eu fortalecer minha vocação”.

Já o seminarista Tairone Ferreira, de 18 anos, já está se despedindo dos colegas, pois este ano irá ingressar no Seminário Maior, momento aguardado com bastante convicção.

“Estou encarando esse momento com força e dedicação para que eu possa seguir em frente numa vocação tão desejada”, afirmou Tairone ao revelar que seu desejo de ser padre é fruto de uma experiência com Deus através da oração, que o ajudou a decidir pelo sacerdócio.

Comum aos três jovens é o desejo de desenvolver a espiritualidade e o intelecto para favorecer a missão evangelizadora.

Ordenação ao diaconato
Após passarem por um estágio pastoral no Seminário São João XXIII, os seminaristas Daniel Ferreira, de 38 anos, e Jan Carlos da Costa Rocha, 39 anos, serão ordenados diáconos provisórios no início deste ano, na Catedral Metropolitana. Eles falaram sobre a experiência no Seminário Menor e o avanço na formação sacerdotal.

“Foi uma alegria retornar a esse momento inicial da formação, que é uma sementeira de vocações. Tive a oportunidade de contribuir para a formação dos jovens como professor de Ministério da Fé, além de orientações sobre a doutrina católica, a dinâmica litúrgica, oralidade e oração. A ordenação ao diaconato só reforça o meu sonho em me colocar a serviço de Deus e da Igreja”, declarou Daniel, convicto de sua vocação sacerdotal.

Jan Carlos destacou a autoafirmação de sua escolha pelo sacerdócio e a satisfação pela experiência adquirida com o estágio.

“Foi um período de muito aprendizado e de grande valia para o meu crescimento como pessoa e para o meu discernimento vocacional. O contato com o povo de Marechal Deodoro ainda mais me fez refletir da urgência e necessidade do anúncio do Evangelho para tornar Nosso Senhor Jesus Cristo cada vez mais conhecido e amado. Enfim, foi um tempo que se configurou para mim como 'síntese' de todo arcabouço construído durante os anos de estudo e preparação no Seminário”, refletiu Jan.

Sobre os Seminários
Na igreja existem três tipos de Seminário: Maior, Propedêutico e Menor. Conforme Padre Luciano Duarte, a modalidade Menor volta-se aos que desejam ser padres, mas ingressam no seminário ainda cursando ensino médio, passando a dividir o tempo entre o ensino médio e os estudos no seminário.

Após o Concílio Vaticano II, a Igreja priorizou a questão das vocações com idade pós-ensino médio, tanto que hoje para um jovem participar de um encontro vocacional na Arquidiocese de Maceió precisa ter no mínimo 16 anos e somente a partir dos 18 anos ingressa no Seminário. O Seminário Menor encontra-se obsoleto, apesar de ainda existir no Brasil unidades com essa formação.

Padre Luciano explicou que o Propedêutico se assemelha a um nivelamento para o ingresso no Seminário Maior, que se divide entre os cursos de filosofia e teologia. Sobre o Propedêutico descreve o funcionamento.

“No primeiro ano, o seminarista passa por uma revisão de conteúdos específicos do ensino médio e, ao mesmo tempo, estuda disciplinas voltadas à formação sacerdotal, a exemplo da catequese da Igreja e a liturgia das horas”, afirmou o reitor.

Sem comentários! Seja o primeiro!!!
Deixe seu comentário

ARQUIDIOCESE DE MACEIÓ | Igreja Missionária e Samaritana

Pastoral da Comunicação Cúria: (82) 3223-2732 ou 3021-4001 (07h30 às 14h) Gabinete do Arcebispo: (82) 3326-2321 (8h às 12h) PASCOM: (82) 3326-5458 (8h às 14h) Av. Dom Antônio Brandão, 559 – Farol 57051-190 Maceió – AL