Arquidiocese de Maceió | Igreja Missionária e Samaritana

Arquidiocese de Maceió | Igreja Missionária e Samaritana

Notícias / Arquidiocese

20/04/2017 15h07

Fátima e a oração do Rosário

Artigo do Mons. Rubião Lins Peixoto extraído do jornal O Semeador 18.380

Foto: Maria Cicera / Pascom Maceió

 Em uma das vezes que eu fora à Fátima, lembro que adentrando a esplanada do Santuário, ao chegar à Capela das Aparições um irmão sacerdote dirigiu-se a mim com essa expressão: “Padre, o senhor já rezou o seu rosário hoje?”, respondi: “Estou chegando à Fátima agora, estou vindo do Brasil”.

Os Pastorinhos, nas “Memórias” da Irmã Lúcia, diz-nos que em outubro de 1917 a “Senhora mais brilhante que o Sol”, identificou-se como: “Eu sou a Senhora do Rosário”. Após a vivência do mistério da Eucaristia, é o Rosário a oração de todos os peregrinos em Fátima. À noite os peregrinos se reúnem na Capela das Aparições para rezarem o santo Rosário com a presença de um sacerdote. A oração é em várias línguas, porque lá estão peregrinos de várias nações. Em seguida, começa a procissão com a imagem de Nossa Senhora cujo, andor está ricamente ornamentado, e todos os peregrinos estão com as velas acesas nas mãos. Recolhida a procissão, na Capela entoa-se habitualmente o Salve Regina e voltando cada um para recolher-se, quase sempre em baixas temperaturas, mas internamente todos estão aquecidos.

Disse alguém: “Cada vez que se reza uma Ave-Maria, entregasse (ou entrega-se) rosas a Nossa Senhora e em cada Rosário damos a ela um buquê”. Claro que a uma mulher se deve sempre oferecer rosas, sobretudo à Mãe.

A palavra Rosário significa rosa. Sendo a rosa a rainha das flores nós a oferecemos a Nossa Senhora. Talvez possamos dizer que a oração do Rosário é como se fora o núcleo da mensagem de Fátima, claro que é muito mais. O santo Rosário requer a contemplação dos mistérios da fé que encontramos nos evangelhos. “Sem a contemplação dos mistérios, o Rosário é como um corpo sem alma”.

Na descrição que a Irmã Lúcia faz da visão de Nossa Senhora, acrescentou: “De sua mão direita pendia o Rosário”. Nesta oração, se perpassa o Evangelho pelas mãos, pela mente e pelo coração, com Maria a Mãe de Jesus. Muitos ainda não conhecem a riqueza bíblico-teológica desta oração da qual estamos tratando, mesmo que hoje o vejamos nas mãos até dos jovens, dependurados nos veículos e nos grupos que se chamam Rosário dos Homens, da Família, etc. Eu aconselho aos leitores que leiam a Carta Apostólica de São João Paulo II: O Rosário da Virgem Maria. Não nos esqueçamos que o Papa Leão XIII publicara no seu pontificado nada menos que 16 mensagens sobre o Rosário. São Pio V, quando a Igreja vencera a Batalha de Lepanto, disse: “Não foram as armas, mas o Rosário de Maria”.

“Quando nos caminhos da História do Cristianismo, nos interrogamos sobre a origem da oração do Rosário, a que Maria, como vimos, se associa nas aparições da Cova da Iria acabamos por nos encontrar com a rica tradição

Sem comentários! Seja o primeiro!!!
Deixe seu comentário

ARQUIDIOCESE DE MACEIÓ | Igreja Missionária e Samaritana

Pastoral da Comunicação Cúria: (82) 3223-2732 ou 3021-4001 (07h30 às 14h) Gabinete do Arcebispo: (82) 3326-2321 (8h às 12h) PASCOM: (82) 3326-5458 (8h às 14h) Av. Dom Antônio Brandão, 559 – Farol 57051-190 Maceió – AL