Arquidiocese de Maceió | Igreja Missionária e Samaritana

Arquidiocese de Maceió | Igreja Missionária e Samaritana

Especiais / Festa da Padroeira de Maceió

Origem da Devoção

Origem da Devoção

 

Por volta do ano 1599, uma peste assolava Lisboa, Portugal. Uma imagem da Mãe de Deus apareceu sobre uma fonte em Alcântara, na quinta dos Condes da Ilha. A fonte passou a ser chamada de “santa”, pois água passou a curar as várias enfermidades. A imagem conduzida para sua casa dos condes colocada em um oratório. Certo dia a mesma imagem desapareceu e foi encontrada sobre o poço. Nossa Senhora manifestou-se a uma menina, dando-lhe a missão de pedir aos vizinhos e familiares para ali construírem uma capela onde ela fosse venerada sob o título de Senhora dos Prazeres. Uma ermida foi erguida e a imagem esculpida em alabastro foi ali colocada e os prodígios não pararam.
Nossa Senhora dos Prazeres é representada com o Menino Jesus nos braços e sob os pés aparecem sete flores, correspondentes às suas sete maiores alegrias. É a mesma Nossa Senhora das Sete Alegrias, devoção de origem franciscana.
As maiores alegrias ou os seus maiores prazeres, foram enumerados por um noviço franciscano, como os seguintes: a anunciação do anjo, a saudação de Santa Isabel, o nascimento de seu Divino Filho, a vista dos Reis Magos, o encontro de Jesus no templo, a primeira aparição de Cristo após a Ressurreição e finalmente a sua coroação no Céu, após sua gloriosa assunção.

 

Devoção no Brasil

No Brasil existem algumas igrejas dedicadas a esta invocação em Alagoas, Santa Catarina, São Paulo e Minas Gerais (Diamantina e Lavras Novas), porém a mais famosa é a que se ergue nos Montes Guararapes, perto de Recife. Este templo foi edificado a fim de agradecer à Mãe Santíssima o triunfo dos brasileiros sobre os holandeses nas batalhas de Guararapes, que culminou com a rendição dos batavos, que abandonaram o país e entregarem a Cidade Maurícia ao General Francisco Barreto de Menezes, comandante geral das tropas vitoriosas.
D. João IV mandou erguer a sua custa, em consequência de uma promessa feita no campo de batalha, a capela dedicada a Nossa Senhora dos Prazeres, entregando-a aos cuidados dos monges beneditinos em 1782. No seu interior encontram-se dois painéis representando os dois combates ali travado e no muro do alpendre da igreja foi colocada uma lousa de mármore alusiva ao memorável acontecimento.

 

Devoção em Maceió

No início do século XIX, o povoado de Maceió já estava formado, exatamente com esse nome, pois antes era Engenho Massayó (terra alagadiça, na linguagem indígena) fundado pelo capitão Apolinário Fernandes Padilha: a atual Praça Dom Pedro II. O engenho ficava onde hoje é a Assembleia Legislativa, a casa grande, ao lado, onde é atualmente a Biblioteca Pública e a capela em louvor a São Gonçalo do Amarante, no meio do morro do Jacutinga, atrás da atual Catedral. Foram surgindo novos moradores e ocupando o espaço que o senhor de engenho destinou como patrimônio da Igreja.
Num dia de intenso sol, ele estava próximo à igrejinha, olhando sua roça quando avista um navio afundando na Enseada de Jaraguá. Ajoelha-se e reza pedindo a proteção de Nossa Senhora dos Prazeres, para que o naufrágio não se consolidasse. E foi atendido. Mandou buscar uma imagem de sua protetora em Portugal e a partir daí passou a ser a padroeira de Maceió.

 

História Catedral

Governava a Província Cansanção do Sinimbú, quando aconteceu o lançamento da primeira pedra, na tarde do dia 22 de julho de 1840.
Em 20 de dezembro de 1859, o Visitador Diocesano Côn. Afonso de Albuquerque procede à bênção do majestoso templo.
No dia 31, após Missa solene, o Visitador Diocesano benze a nova imagem da Padroeira, imponente escultura, ofertada pelo Barão de Atalaia. À tarde, sua majestade D. Pedro II transpõe os umbrais do templo. Com notas vibrantes é entoado o hino de ação de graças.
O Pároco de Maceió, quando da inauguração da nova Matriz, era o Côn. João Barbosa Cordeiro, cujo nome está ligado à principal obra de assistência hospitalar de nossa capital, o Hospital de Caridade, depois Santa Casa de Misericórdia, que ele idealizou e fundou em 1851.
O Decreto de 02/07/1900, do Papa Leão XIII, criava a Diocese de Alagoas e, conjuntamente, elevava à dignidade de igreja episcopal e Catedral, a Matriz de Maceió, nela instituindo a sede episcopal para aquele que deveria ser chamado bispo de Alagoas.

 

Programação da festa 2013

Festa, Louvor e Celebração
Tema: Bem-Aventurada porque acreditou na Palavra do Senhor.

Local: Catedral de Maceió
Horários de 18 a 16 de agosto
06 h – Celebração Eucarística, após a celebração da Missa, Adoração na capela do Santíssimo Sacramento.
12 h - Bênção do Santíssimo Sacramento
15 h – Celebração Eucarística
18 h – Terço Meditado
19 h – Celebração Eucarística

 

17 de agosto – sábado
18 h: Caminhada saindo do Quartel da Polícia Militar até a Catedral
19 h: Celebração Eucarística
Celebrante-Pregador: Pe. Fernando Antônio Bezerra da Silva, Capelão em exercício do 59º BMtz
Concelebrantes: Pe. Epitácio Palmeira, Capelão da Polícia Militar e Pe. Judá Barbosa, Capelão do Corpo de Bombeiros
Coral: São Jorge - Polícia Militar
Liderança: Militares e família Militar. Forças Públicas Federais: 59° BMtz, Marinha, Aeronáutica. Forças Públicas Estaduais: Polícia Militar de Alagoas, Corpo de Bombeiros, Polícia Civil.

 

18 de agosto – domingo
Tema: "É preciso redescobrir o caminho da fé para fazer brilhar, com evidência sempre maior, a alegria e o renovado entusiasmo do encontro com Cristo." (Bento XVI).
6 h Celebração Eucarística
15h, liderança e coral: Área Noroeste
19h, Celebrante-Pregador: Pe. Rodrigo Rios Batista, administrador paroquial de Porto de Pedras
Liderança e coral: Equipes de Nossa Senhora, Cursilho de Cristandade e Movimento Familiar Cristão.

 

19 de agosto – segunda-feira
Tema: "Não podemos aceitar que o sal se torne insípido e a luz fique escondida (Mt 5,13-16). Também o homem contemporâneo pode sentir de novo a necessidade ir com a Samaritana ao poço, para ouvir Jesus que convida a crer nEle e a beber na sua fonte, donde jorra água viva (Jo 4,14)." (Carta Apostólica Porta da Fé).
6 h Celebração Eucarística
15h, liderança e coral: Área Munguaba
19h, Celebrante-Pregador: Pe. Luciano Soares da Silva, administrador paroquial de Santa Luzia do Norte
Liderança: Renovação Carismática Católica e Novas Comunidades.
Coral: Renovação Carismática Católica

 

20 de agosto – terça-feira
Tema: "O Ano da Fé nos indica o Concílio como a grande graça de que se beneficiou a Igreja no século XX: nele se encontra uma bússola segura para nos orientar no caminho do século que começa." (Bento XVI).
6 h Celebração Eucarística
15h, liderança e coral: Romeiros e Setor Tabuleiro I
19h, Celebrante-Pregador: Pe. José Luciano Duarte dos Santos, administrador paroquial de Pilar
Liderança: Romeiros e Setor Tabuleiro II
Coral: Romeiros.


21 de agosto – quarta-feira
Tema: "A fé nos introduz numa vida nova: 'Pelo Batismo fomos sepultados com Ele na morte, para que, tal como Cristo foi ressuscitado de entre os mortos pela glória do Pai, também nós caminhemos numa vida nova' (Rm 6,4)." (Carta Apostólica Porta da Fé).
6 h Celebração Eucarística
15h, liderança e coral: Setor Lagoa
19h, Celebrante-Pregador: Pe. Charles Silva Alves, vigário paroquial de Pilar
Liderança: Vicentinos, Fazenda da Esperança Santa Teresinha, Juvenópolis, Casa do Servo Sofredor, Casa Betânia e Casa Dom Bosco.
Coral: Vicentinos

 

22 de agosto – quinta-feira
Tema: "A fé, precisamente porque é um ato da liberdade, exige também assumir a responsabilidade social daquilo que se acredita." (Bento XVI).
6 h Celebração Eucarística
15h, liderança e coral: Área Pastoral Mundaú e Pastorais Sociais
19h, Celebrante-Pregador: Pe. Erivaldo Xavier da Silva, administrador paroquial de São Miguel dos Milagres
Liderança: Terços dos Homens, Movimento Mãe Rainha, Ordens Terceiras Seculares.
Coral: Cavaleiros da Imaculada

 

23 de agosto – sexta-feira
Tema: "Catecismo da Igreja Católica oferece uma memória permanente dos inúmeros modos em que a Igreja meditou sobre a fé e progrediu na doutrina para dar certeza aos crentes na sua vida de fé ." (Carta Apostólica Porta da Fé).
6 h Celebração Eucarística
15h, liderança e coral: Setor Atlântico, Apostolado da Oração e Associação do Coração Eucarístico.
19h, Celebrante-Pregador: Pe. José Alex da Silva Barbosa, administrador paroquial de Atalaia
Liderança: Legião de Maria, Congregação Mariana, Pastoral Familiar e Casais de Segunda União
Coral: Arca da Aliança

 

24 de agosto – sábado
Tema: "A Igreja nunca teve medo de mostrar que não é possível haver nehum conflito entre fé e ciência autêntica, porque ambas tendem, embora por caminhos diferentes, para a verdade." (João Paulo II).
6 h Celebração Eucarística
15h, liderança e coral: Área Pastoral Norte e Conferência dos Religiosos
19h, Celebrante-Pregador: Pe. Valmir Galdino Paes da Silva, administrador paroquial de Messias
Liderança: Focolare, EJC, TLC, Segue-me, MEJ e Grupos Jovens.

 

25 de agosto – domingo
Tema: "A fé sem a caridade não dá fruto, e a caridade sem fé seria um sentimento constantemente à mercê da dúvida. Fé e caridade reclamam-se mutuamente, de tal modo que uma consente à outra de realizar o seu caminho." (Bento XVI).
6 h Celebração Eucarística
15h, liderança e coral: Área Pastoral do Vale do Paraíba
19h, Celebrante-Pregador: Pe. Elison Silva, pároco de Santa Lúcia
Liderança e Coral: Encontro de Casais com Cristo - ECC

 

26 de agosto – segunda-feira
Tema: "Solícita a identificar os sinais dos tempos no hoje da história, a fé obriga cada um de nós a tornar-se sinal vivo da presença do Ressuscitado no mundo." (Carta Apostólica Porta da Fé).
6 h Celebração Eucarística
15h, liderança e coral: Setor Centro e Escolas Católicas
19h, Celebrante-Pregador: Dom Dulcênio Fontes de Matos, bispo de Palmeira dos Índios
Liderança: Irmandade do Santíssimo Sacramento, Ministros Extraordinários da Comunhão Eucarísticas, Acólitos e Ancilas, Diáconos, Escola Diaconal e Catequese.
Coral: Nossa Senhora Auxiliadora

 

Solenidade de Nossa Senhora dos Prazeres
27 de agosto, terça-feira

Tema: "Com fé, Maria saboreou os frutos da ressurreição de Jesus e, conservando no coração a memória de tudo (Lc 2,19.51), transmitiu-a aos Doze reunidos com Ela no Cenáculo para receberem o Espírito Santo (At 1,14)." (Bento XVI)
6 h - Celebração Eucarística
9 h - Missa Solene
Presidente da Celebração Eucarística: Dom Antônio Muniz Fernandes Pregador: Dom Valéria Breda, SDB, bispo de Penedo
Liderança: Arquidiocese de Maceió
Coral: Paróquia de Nossa Senhora dos Prazeres - Catedral de Maceió e Igreja de São Benedito - Centro de Maceió
16 horas: Procissão triunfal com a Imagem de Nossa Senhora dos Prazeres, pelas ruas da Cidade, encerrando-se na Praça dos Martírios
Celebrante-Pregador: Dom Antônio Muniz Fernandes.
No final da Missa, Consagração da Arquidiocese de Maceió a Nossa Senhora dos Prazeres.

 

Obs.:
• De 18 a 26, após a missa das 6h, será servido o café aos pobres de rua e à comunidade.
• De 18 a 26, após a Celebração Eucarística das 19 horas, haverá um momento de confraternização: música e barracas com comidas típicas, ao lado da catedral.
• Serão transmitidas as Missas de 19 a 23 e 26, às 15h. Dias 24 e 25, às 19h. Dia 27, todas as celebrações pela Rádio Imaculada Conceição, 1320 AM de Maceió.

 

Dados da Festa:
Festa da Padroeira da Cidade e da Arquidiocese de Maceió
Local: Catedral de Nossa Senhora dos Prazeres
Praça Dom Pedro II, s/n, Centro, Maceió-AL
Período: 17 a 27 de agosto 2013
Telefone da Catedral: 3323-2872
Arcebispo de Maceió: Dom Antônio Muniz Fernandes
Padres da Catedral: Pe. Lídio José e Mons. Celso Alípio
 

ARQUIDIOCESE DE MACEIÓ | Igreja Missionária e Samaritana

Pastoral da Comunicação Cúria: (82) 3223-2732 ou 3021-4001 (07h30 às 14h) Gabinete do Arcebispo: (82) 3326-2321 (8h às 12h) PASCOM: (82) 3326-5458 (8h às 14h) Av. Dom Antônio Brandão, 559 – Farol 57051-190 Maceió – AL